(testemunho pessoal)
“Faz hoje três anos e estava eu no meio do deserto da Jordânia, a fazer parte de um projecto de educação para crianças refugiadas. Faz hoje dois anos que cheguei a Santiago de Compostela, depois de uma caminhada que começou no dia 11 de Agosto em Lisboa. Faz hoje um ano que passei a manhã a fazer doce de tomate e compota de figos. Preparei também três hamburgueres de feijão preto para o jantar deles, antes de calçar as botas e caminhar até Pamplona. E hoje aqui estou eu, a preparar-me para mais um duche de betadine antes de me abrirem mais uma janela no peito, onde vão colocar-me o implante onde vou receber a quimioterapia. A parte mais bonita nisto tudo, não é a nostalgia do que passou, nem a tristeza do que se está a passar, mas a gratidão de poder estar aqui neste momento a contar-vos estas coisas. A parte mais bonita nisto tudo, é que hoje pude levantar-me da cama e fazer papas de aveia para o pequeno almoço dos miúdos, e negociar com o Tiago quantos mirtilos ele tinha de comer antes de se levantar da mesa, e tive energia para arrumar a lenha ao lado da lareira, e agora ainda vou limpar a janela da cozinha, antes do tal duche de betadine. A verdade é que se antes já tinha tanta urgência em saborear as coisas mais ordinárias da vida, agora, até vejo magia quando limpo o pó. Isto para vos dizer, boa sexta-feira e deixem-se inundar pela magia do quotidiano.”