Pali-Ativo

Descubra e acompanhe este projeto especial.

Este é um blog para falar da importância dos cuidados paliativos. Que mais do que falar, quer ser ativo. Ajudar cada um de nós a pensar a morte, a sua e a dos seus. Ajudar por isso, cada um a pensar a vida, a sua e a daqueles que lhe são queridos. A pensarmos o mundo, com a morte lá dentro e não colocando-a de fora como sendo um bicho papão.

Que este blog nos possa ajudar a viver melhor, a cuidar melhor do mistério que é a vida. A não termos medo de pensar, de decidir, de escolher dentro daquilo que nos é permitido fazer. E nós temos tanto para fazer, não nos acobardemos. Como diz uma música da Mafalda Veiga: “Não sabemos nada do que somos nós, mas sabemos tanto do que muda, por não estarmos sós”.

Porque acredito, que como enfermeira em cuidados paliativos, da minha experiência de alguns anos, que a medicina pode ser uma grande ajuda no alívio dos sintomas e do sofrimento. Mas também tenho aprendido que a morte de cada um é um trabalho de casa diário. Assim como acredito que é um trabalho e responsabilidade de cada um saber bem acompanhar/amar uma pessoa na hora da despedida.

Temos um papel importante na forma como vivemos, que se refletirá na forma como um dia morremos (se na hora estivermos capazes e conscientes dela).

Sabias que…

Alguém Disse…

MARIE DE HENNEZEL

Junho 30th, 2020|Alguém Disse|

(psicóloga em cuidados paliativos) "O mundo que nos rodeia não nos ensina a morrer. Tudo é feito para esconder a morte, para nos incitar a viver sem pensar nela, nos moldes de um projecto, voltados [Ler mais...]

MARIA GALVÃO

Junho 23rd, 2020|Alguém Disse|

(médica de família) "Não me consigo lembrar da primeira vez em que vi a Maria. Parece-me que ela sempre existiu. Lembro-me da forma como brincávamos quando eu era criança. Lembro-me como ria e da ternura [Ler mais...]

MARIE DE HENNEZEL

Junho 16th, 2020|Alguém Disse|

(psicóloga em cuidados paliativos) “Max, a sua mãe, acaba de completar os 84 anos quando, bruscamente, compreende que a sua vida acabou. É numa sexta-feira. Regressa do mercado de Saint-Tropez, pousa o cesto no chão [Ler mais...]

Ver e Ouvir…